Os profissionais deveriam dançar mais nos eventos?

Boa parte dos dançarinos vão para grandes eventos por causa da oportunidade de dançar com profissionais mundialmente famosos. Em alguns lugares, chegam a formar fila, esperando seus três a cinco minutos no paraíso.

Entretanto, alguns desses profissionais quase não aparecem para dançar nos eventos, ou foca em dançar com outros profissionais.

Eles estão infringindo alguma regra? Tem algum requerimento ou expectativa que os profissionais devam estar dispostos a dançar com todo mundo nos eventos?

Minha resposta? Normalmente não.

professor west

Que tipo de profissionais estamos falando?

Esse artigo trata explicitamente dos melhores profissionais mundo afora. Aqueles que viajam toda semana para eventos de dança e são pagos para isso. Eles ensinam nos workshops, dão diversas aulas particulares e fazem propaganda do seu trabalho.

E para o que exatamente eles são contratados?

Do ponto de vista de um organizador de eventos, tipicamente, contratamos esses profissionais para ensinar e fazer apresentações. Alguns outros estilos de dança podem ter variações disso, como competições, por exemplo, e alguns podem incluir dançar nos bailes algumas horas no contrato. Um profissional é obrigado a fazer o que ele foi contratado pra fazer.

Quando você vai ver para que a pessoa foi contratada, percebe que ela tem ocupada de duas a oito horas do seu dia. Se o profissional é professor, vai fazer apresentação, é DJ ou juíz, esse número tende a ser até maior.

Se você considerar o tempo de preparação para cada atividade, cada workshop de uma hora exige, pelo menos, uma hora e meia de preparação. DJs precisam preparar seus equipamentos. Quem for apresentar algo precisa ensaiar, passar palco, verificar a música, entre outras coisas. E eles precisam estar bem para fazer uma excelente apresentação. Juízes precisam estar mentalmente alertas para as competições. Todas essas coisas exigem tempo e energia dos profissionais.

O que os profissionais fazem, além disso

Além das obrigações padrões de cada evento, os profissionais sempre tem uma fila de pessoas querendo aulas particulares. O que exige, normalmente, mais duas a seis hora do dia deles.

Quando você faz a soma, repara que eles trabalham de quatro a catorze horas no dia.

Outras coisas mais que eles ainda fazem

Vários eventos ainda tem algumas coisas que não estão no contrato mas é esperado que os profissionais façam, como tirar fotos ou estar em um jantar com patrocinadores, ou até uma palestra.

Sem contar o tempo para se alimentarem e cuidarem de si próprios.

Onde entra a dança?

Se um profissional está no limite inferior da nossa análise (ou seja, gasta quatro horas por dia trabalhando), é bem comum vê-lo nos bailes todas as noites. Eles podem não dançar a noite inteira, mas eles sempre aparecem para dançar pelo menos um pouco. Alguns fazem isso para criar uma reputação positiva, outros porque realmente adoram dançar e conhecer novas pessoas.

E mesmo os profissionais no limite superior da análise acabam gastando algum tempo nos bailes. Com a diferença que eles provavelmente estão exaustos pelo dia cheio de trabalho. Eles também podem precisar ir dormir cedo, principalmente se o evento precisa deles de pé no dia seguinte bem cedo, ou se tiver alguma apresentação ou competição.

A escolha

Existe uma escolha até para os profissionais que mais gostam de dançar nos bailes. E se algo tem que ser cortado no final de semana, normalmente serão as horas de dança nos bailes ou as aulas particulares. E, obviamente, o maior custo-benefício para eles é cortar os bailes. Principalmente para os profissionais que vivem da dança e utilizam as aulas particulares como fonte principal de renda.

Eles precisam descansar para serem funcionais. Alguns, mais que outros. Por exemplo, eu preciso muito dormir. Se eu não dormir, meu rendimento cai em todas as outras atividades. Eu posso dormir durante o dia, ou durante a noite, mas preciso dormir.

Se eu vou ensinar o primeiro workshop do dia as 11, julgar as competições das 14 as 16, dar aulas particulares das 18 as 19 e me apresentar as 23, o único horário que realmente é possível dormir, é após a apresentação. E isso implica em sair do baile, no máximo, as 2. Mas se o workshop da manhã for meio dia, competições até as 15 e depois disso eu estou livre, eu vou gastar a tarde toda dormindo para que eu possa ficar no baile até o café da manhã.

Para que contratar profissionais se eles não vão para os bailes?

Quando você é um profissional da dança, sua reputação pode vir por diversos motivos:

  • Por causa das suas habilidades como DJ
  • Por causa das suas habilidades como professor
  • Pela sua dança nos bailes
  • Por suas apresentações

Existe alguns profissionais que são verdadeiros ETs por ficarem no baile a noite toda. E isso normalmente é reconhecido positivamente em suas reputações. Isso pode contrastar com um profissional famoso por suas coreografias mas que nunca aparece nos bailes.

Ambos os tipos atraem as pessoas. Ambos trazem um valor diferente para os eventos que os contratam. As vezes, mesmo em um casal, você vê um dos dois dançando bem mais que o outro nos bailes. Alguns profissionais ainda são conhecidos pelas incríveis coreografias e por ficarem nos bailes até tarde.

Portanto, alguns simplesmente são contratados por outras coisas que não pelas danças. Eles são contratados pelo que eles têm valor.

Profissionais tímidos, mal humorados ou lesionados.

Outra coisa que devemos analisar é o temperamento de alguns profissionais. Ao contrário da intuição, muitos artistas são tímidos. Vários são introvertidos. Portanto, festas imensas onde eles conhecem pouca gente não são exatamente sua zona de conforto.

Além do mais, vários profissionais têm que lidar com lesões. Esse é o resultado do esforço intenso que eles impõem aos seus corpos todos os dias. Se eles forem para o baile dançar com pessoas diversas, podem transformar uma lesão temporária em um problema de verdade. Principalmente se eles possuem alguma grande apresentação ou competição em seguida. Um movimento errado no baile pode comprometer suas habilidades de cumprir com o contrato.

Existe também a possibilidade de alguns profissionais estarem em um dia ruim. Eu fico assim quando estou cansada. Quando estou com sono e tudo que eu quero é ir pra cama, precisa de alguma música muito boa acompanhada de uma dança incrível pra me animar de novo. As vezes, nem isso é suficiente. Por isso alguns preferem simplesmente ir cuidar da vida deles do que ficar no baile com cara de quem não queria estar lá.

Por que alguns profissionais que ficam o dia todo trabalhando ainda aparecem no baile então?

Primeiro de tudo, todos os profissionais que trabalham o dia todo amam dançar. Então essa parte do evento pode não ser um trabalho para eles.

Outros usam para construir sua reputação pensando que no futuro receberão melhor por isso. Quanto mais público um profissional atrai para um evento, mais valioso ele é para os organizadores. Isso não quer dizer que eles não gostam de dançar, mas pode ser a diferença entre ir dormir mais cedo ou ficar no baile mais duas horinhas.

Mas alguns até vão para os bailes, só que ignoram os meros mortais

Se os bailes são o momento que os profissionais usam para relaxar, é natural que eles prefiram dançar com pessoas que eles gostam e estão acostumados. Nesses eventos costumam ter outros profissionais dançando também.

Esses outros profissionais são aqueles que possibilitam que eles treinem e dancem utilizando sua capacidade máxima. É de se esperar que eles queiram dançar entre eles.

Na maior parte do tempo, os profissionais que dançam somente entre eles não estão pensando como aquilo parece egoísta ou exclusivo, eles só estão pensando em se divertir e se sentir bem. Claro que isso não os dá o direito de ser rude com quem vem chamá-los para dançar, mas é um bom motivo para alguns comportamentos que parecem esnobes mas na verdade não tem essa intenção.

(E sim, existem profissionais que realmente são esnobes. Mas são poucos)

Como eles se atrevem a gostar mais de dançar entre eles do que com as pessoas normais

As pessoas normais gostam de dançar com os profissionais por causa das suas incríveis habilidades. Essas habilidades existem porque, para eles, dançar é um estilo de vida. Todos os dias, por muitas horas. Obviamente eles têm um conhecimento e controle melhor do que estão fazendo.

Não é aceitável dizer que um dançarino médio vá trazer aquele desafio ou sensação incrível que os profissionais trazem. Dançar com pessoas normais pode ser divertido, excitante e etc, mas nunca é a mesma coisa que dançar com alguém que pratica intensamente, tem experiência e se dedica a isso. É como se o Neymar se sentisse desafiado no futebol por um garoto da quinta série. O bate bola dos dois pode ser divertido e até gerar algumas ideias, mas eles possuem um abismo de experiência.

Mas eu quero dançar com os profissionais!

Quando um profissional decide quando, por quanto tempo e com quem dançar, ele está criando uma reputação para ele mesmo (propositalmente ou não).

Pode não ser o que você considera uma boa reputação, e isso não é um problema. Você tem todo o direito de escolher onde gastar dinheiro e com quem. Você escolhe os eventos que vai pagar e com quem fará aulas. Se você ama dançar com profissionais, priorize e gaste seu dinheiro em eventos que contratem esse tipo de profissionais. Dê a eles seu apoio!

Por que os organizadores de evento não obrigam eles a dançar?

Alguns eventos contratam profissionais para dançar nos bailes por algumas horas. Mas isso significa que o orçamento será cortado em outras atividades ou o evento ficará muito caro.

Na maioria dos eventos, a inscrição apenas para os bailes não é cara. Portanto, gastar o dinheiro com os profissionais para que eles dancem com as pessoas ao invés de gastar com aprendizado nos workshops para quem paga as inscrições completas mais caras, não é a melhor das ideias. Principalmente se você sabe que os profissionais que você contratou vão dançar um pouco de qualquer forma nos bailes.

Portanto, se você quer que os eventos que você vai contrate profissionais para dançar nos bailes, se prepare para gastar mais dinheiro para ir a esses eventos. Senão, fica simplesmente impossível pagar esses profissionais.

Se não estamos pagando um profissional para ele dançar no baile, nós não temos o direito de controlar quanto tempo ele gasta nos bailes ou com quem ele dança. Isso é uma decisão deles e eles tem o direito de rejeitar uma dança, ir dormir ou só dançar entre eles. Entretanto, nós sempre encorajamos que esses profissionais dancem com as pessoas normais e a maioria deles fica feliz em atender.

Bom, mas se eles trabalham com isso, eles não tem a semana inteira pra descansar depois?

Provavelmente não.

Boa parte dos profissionais mundialmente conhecidos viajam semanalmente. Dependendo de quão longe é a viagem, pode levar de dois a três dias na semana. Além disso, você precisa considerar o fuso e o jetlag.

Se um profissional está em um evento que começa na quinta e termina segunda de manhã, só o tempo para ele se recuperar pode consumir a terça e a quarta inteiras.

Além disso, muitos desses profissionais ainda são proprietários de escolas de dança e precisam cuidar dos seus negócios, lavar a roupa e outras atividades do dia a dia. Sem contar que eles precisam ensaiar coreografias, treinar seus corpos e etc. Artistas profissionais não gastam seu tempo livre fazendo nada em algum canto da casa. Se eles fizessem isso, não seria os melhores no que fazem.

Expectativas razoáveis

É realmente incrível quando temos a oportunidade de ver profissionais que amam dançar, são excelentes professores e apresentam coreografias incríveis. Nós devemos ser sempre muito gratos de ter essas pessoas entre nós.

Mas reconhecer que essas pessoas são incríveis não nos dá o direito de querer cobrar a mesma coisa de pessoas que não conseguem ser assim. Precisamos reconhecer que os profissionais são pessoas também, e pessoas tem limitações. Seus corpos têm limitações, suas mentes têm limitações. E essas limitações não os faz má pessoas ou maus profissionais.

Mesmo que tenham sido contratado para um evento, isso não os faz nossos escravos pessoais de dança naquele final de semana.

Sejamos um pouco mais atenciosos com essas pessoas que nos inspiram e promovem o crescimento das comunidades de dança. Vamos dar espaço a eles para descansarem e relaxarem para que possam dar 100% deles quando realmente importa. No mínimo, reconheça os artistas que tentam se superar cada vez mais ao invés de rejeitá-los simplesmente porque eles não apareceram no baile ou não ficaram até o café da manhã.

Fonte: http://www.danceplace.com/grapevine/should-pros-social-dance/
Traduzido por: Lucas Esteves

One thought on “Os profissionais deveriam dançar mais nos eventos?”

  1. Muito legal esse texto. Às vezes acho mesmo que as pessoas exageram nessa expectativa. Por isso tenho ídolos em todos os níveis, que me dão imenso prazer com suas danças!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *