Category Archives: a

Como apoiar a sua minúscula comunidade de dança

ESCRITO POR : TANYA NEWTON – LINK ORIGINAL : CLIQUE AQUI


Você – sim, você mesmo – pode ser a diferença entre uma comunidade de dança minúscula crescer ou morrer.

Se você está cansado de ter que viajar para fazer aulas ou participar de eventos, está desesperado pelo próximo grande encontro de dança mas tudo isso custa extremamente caro e envolve perder horas e horas de viagem. Ou de se sentir derrotado por perceber que você não está evoluindo tanto quanto você gostaria porque não pratica com frequência.

Esse artigo é para você!

“Mas eu não sou professor de dança, por que eu deveria me importar?”


Isso é verdade: você não é a pessoa que trabalha com dança. Você não tem nenhum lucro, ou prejuízo, com eventos e aulas. Você prefere não colocar tempo e esforço em algo que você não vai receber nada em troca. Então você pode pensar “por que eu deveria me importar em apoiar algo que, francamente, nem sempre é tão divertido assim”. Afinal, uma comunidade de dança minúscula está cheia de iniciantes e bailes vazios.

Vamos deixar algo claro: você não é obrigado a seguir nenhuma dessas dicas. Se você está feliz com a sua comunidade de dança local, ou prefere investir seu tempo em alguma outra coisa, a escolha é sua. Mas se você se importa com a sua comunidade local e deseja fazer ela ser maior e melhor, você precisará colocar um pequeno esforço nisso. Mas é pequeno mesmo, basta seguir as dicas abaixo.

Porque uma pessoa não consegue criar um evento sozinha, é necessário uma comunidade.

Então, seguem as dicas para você apoiar sua comunidade.




1. Compareça!

Em uma comunidade minúscula, nem toda noite será movimentada. Entretanto, isso é só mais um motivo pra você comparecer. Você pode ser a diferença entre ter apenas uma, ou duas pessoas para se dançar. Você pode ser a diferença entre o organizador do baile sair no zero a zero ou ter prejuízo. Você pode ser a pessoa que motiva a todos a voltarem no próximo baile.

Muitos dançarinos reclamam de ir aos bailes pois eles estão sempre vazios, mas se eles não forem, os bailes continuarão sempre vazios, ou pior, deixarão de acontecer.

Não desista depois de ir apenas uma vez. Continue aparecendo sempre e, naturalmente, os bailes, eventos e aulas crescerão.

  1. Pague

Talvez sua aula seja composta de cinco damas e apenas uma cavalheiro, ou você se preparou para uma noite de dança que acabou sendo apenas um salão vazio com dois casais dançando. Nesses momentos, pagar o valor da aula ou do baile parece jogar dinheiro fora. Provavelmente os organizadores até ofereçam um desconto ou VIP.

Mas o espaço ainda precisa ser pago, os organizadores gastaram seu precioso tempo montando algo bacana pra você, seja preparando as aulas ou a lista de músicas que tocaram no baile. Por isso, mais que nunca, apoiar sua comunidade significa pagar.

Quanto mais os organizadores precisarem tirar dinheiro do próprio bolso para organizar eventos e aulas, mais provável que eles parem de organizá-los.

Obviamente, se você barganhar, você consegue ganhar alguns reais de desconto, mas quando uma comunidade é pequena, você não está pagando apenas pela aula ou pelo baile. Você está investindo no futuro da comunidade e na possibilidade de um evento maior em um futuro próximo. E isso não vale muito mais que apenas alguns bailes esporádicos?

Então, ao invés de aceitar o desconto, insista em pagar o valor inteiro. E se estiver vazio, aproveite! Use uma aula vazia como se fosse uma aula particular e peça coisas diferentes, ou bailes vazios para treinar passos de maior efeito e que usam mais o espaço, além de fazer questão de conversar com todas as pessoas ali e conhecê-las melhor.

Além disso, em grandes eventos, procure pagar o pacote completo. Normalmente esses pacotes são mais caros, sim, e talvez você não queira fazer os workshops, mas só participar dos bailes, então um pacote só de bailes seria mais indicado para você. O problema é que pacotes de bailes não são suficientes para pagar grandes eventos.

  1. Receba bem os iniciantes

O que é uma noite incrível? Uma com várias pessoas, grande variedade de níveis, música boa, um chão decente… A não ser que você seja iniciante. Para (a maioria dos) iniciantes, uma noite incrível é simplesmente uma noite que eles consigam dançar sem se sentir desconfortáveis ou com vergonha.

Uma comunidade de dança só cresce se tiver iniciantes. E embora dançar com alguém que tenha feito apenas uma ou duas aulas não seja tão satisfatório quanto dançar com alguém do seu nível, se você quer ver sua comunidade crescer você precisa fazer os iniciantes se sentirem bem recebidos. E eu realmente quero dizer bem recebidos e não só levemente percebidos.

Diga Oi. Apresente-se com um enorme sorriso e comece a conversar. Chame-os pra dançar, e não só uma música por educação que acaba em 30 segundos. Apóie-os, reconheça o que eles fazem bem e os lembre que todo mundo passou pelo que eles estão passando. Se você organiza algum baile, convide-os para conhecerem. Se tiver um grupo de WhatsApp, adicione eles.

Mostre a eles que eles já são parte dessa comunidade, porque é assim que você fará eles ficarem.

  1. Fale com as pessoas sobre isso – E continue pensando positivo!

Fale com as pessoas que você conhece sobre as aulas, bailes e eventos. Falar sobre a comunidade é um passo de extrema importância para atrair novas pessoas a ela.

Entretanto, nem toda comunicação é boa.

Imagine isso: você está considerando comparecer a um evento, talvez pela primeira vez, mas aí você verifica no Facebook alguns comentários de pessoas dizendo que não vale a pena ir porque ninguém vai (escrito por pessoas da comunidade, sejam alunos ou organizadores). Provavelmente você desistiria de ir.

Não significa que você tem que mentir ou esconder os fatos sobre quão vazia pode ser a noite de uma comunidade minúscula. Mas você pode citar esse fato enfatizando aspectos positivos, como apresentar os incríveis professores, Djs, ou dizer que tem mais tempo individual nas aulas, uma atmosfera amigável, um espaço grande pra dançar, ou simplesmente prometa que a idéia é fazer a comunidade crescer.

Reclamar que ninguém vai é sempre uma profecia auto-realizável. Se você acredita que uma noite tem potencial, foque no que é positivo e deixe as pessoas saberem disso.

  1. Apóie e motive os organizadores

Criar uma nova cultura de dança nunca é fácil e, para os organizadores, vai existir o momento onde eles considerarão desistir. Perseverar, quando poucas pessoas aparecem, quando eles têm prejuízos e quando eles dedicam horas de organização, pode parecer sem sentido.

Ter sucesso requer tempo, esforço e uma enorme vontade de vencer cada obstáculo no caminho. Construir um novo baile tem um custo financeiro e emocional.

As vezes, o maior apoio que podemos dar a essas pessoas é uma palavra de motivação. Isso não vai pagar o aluguel do espaço ou os custos de divulgação (e definitivamente não substitui ter que pagar pela noite), mas o apoio emocional pode gerar um efeito positivo duradouro. Escutar de alguém que a noite foi incrível e que eles aprenderam muito é sempre reconfortante. Quando você sente que não está tendo sucesso, ouvir um feedback positivo é sempre motivador.

Cuide dos seus professores e organizadores de evento, sem eles, sua comunidade nunca vai crescer. E uma pequena gratidão é um preço pequeno a pagar pela esperança de uma comunidade maior e grandes noites de dança.

Viver em uma área com uma comunidade minúscula pode ser frustrante às vezes, especialmente quando você volta de eventos grandes em locais de comunidades gigantescas. Ainda assim, o fato de você ter essa comunidade pequena com você é motivo de comemoração. Isso pode ser o começo de algo maravilhoso. Tudo que é necessário é um pouco de apoio.

 

FONTE: http://socialdancecommunity.com/how-to-support-your-local-fledgeling-dance-scene/

TRADUZIDO E ADAPTADO POR: Lucas Esteves.

A vida de um dançarino(a)

Dançarinos são pessoas diferentes. Nós passamos a noite fazendo coisas loucas. Ficamos o dia todo pensando em gastar nossa noite fazendo coisas diferentes. Viajamos o mundo por uma semana – e muitos de nós nem deixam o hotel

Com quantos desses tópicos abaixo você se identifica?

1. Antes/depois Amigos da dança

grafico-1

Quando você não dança possui uma infinidade de amigos que não são da dança, e sim das mais diferentes áreas. Mas tem aquele amigo que acabou de começar a dançar. Depois de alguns meses de estímulo, você finalmente concorda em ir e tentar aquela coisa que ele não para de falar…

grafico-2

…Depois de um tempo que você já dança há alguns anos, você esquece o que é ter amigos que não dançam. Seus amigos dançam com você porque você os convenceu, ou mal consegue encontrá-los porque está muito ocupado dançando todas as noites da semana.

Claro, ainda existem aqueles amigos que se mantém por perto pois vocês se conhecem há muito tempo..

2. Mudanças no Guarda-roupa

Originalmente você tem sua roupa de trabalho, roupa casual, de ginástica e algumas roupas chiques. Mas uma vez que você começa a dançar, é impossível pegar uma roupa sem ver se ela é boa para dançar.

Eventualmente, até suas roupas de trabalho vão se tornar roupas boas para dançar em casos de emergências.

grafico-3

Claro não podemos esquecer do que acontece depois que você comprar seu primeiro par de sapatos de dança. Lembra daquele momento mágico em que você decidiu investir no seu primeiro par?

Passados alguns anos, você tem um par para cada ocasião!

grafico-4

  1. Hábitos do Youtube

Pessoas que não dançam usam o youtube para todos dos tipos de coisas. Eles aprendem como fazer coisas novas, escutar música e ver videos engraçados de gatos.

grafico-5

Dançarinos têm uma playlist de cada gênero e estilo. Sempre que aparece uma oportunidades eles vão até o youtube para achar algum vídeo favorito – ou achar o vídeo perfeito – para mostrar para as pessoas o quão mágica é a dança.

grafico-6

4. Conteúdo do Facebook

O Facebook. O lugar onde todos tem “amigos” que eles mal conhecem e pessoas aleatórias (homens e mulheres) de vários lugares te dizendo o quão lindo(a) você é… e que gostaria de te vender algo.

Claro que você provavelmente tem alguns amigos, familiares, colegas de trabalho. Alguns de nós mantemos nossos ex por perto.

grafico-7

Uma vez que você vira um dançarino, a situação muda. Todos os outros continuam lá – mas você tem muitas solicitações de amizade todo o mês. Depois dos eventos, o número aumenta. O desafio não é mais  pensar “eu conheço essas pessoas?” mas  “quantos amigos da dança nós temos em comum?”

O resultado? A maior parte do seu Facebook é composta por pessoas que você provavelmente já esbarrou em algum lugar, mas você não lembra direito.

grafico-8

5. Finanças

Claro que você deve juntar dinheiro e ter equilíbrio! O que já é bem difícil para pessoas normais.

grafico-9

Mas… como você pode gastar seu dinheiro com responsabilidade quando você tem muitas viagens divertidas e muitas coisas legais para comprar para sustentar seu hábito de dançar? E ainda tem as aulas ?!?*

grafico-10

*Esclarecimento: Isto é para ser divertido, e é na grande maioria um exagero. A dança não deveria te levar a falência. Se isso está acontecendo, você está fazendo errado.  

6. Curva da dança de salão

Quando você começa a dançar, sair para dançar pode ser assustador.

Quando você pega gosto pela dança, o baile passa a ser divertido – mas você ainda tem uma vida.

Quando você dança há um tempo, sair para dançar se torna sua vida.

Até que você decide voltar a ter algumas partes da sua vida de volta… Desde que elas não te impeçam de dançar.

grafico-11

7. Viajar

Eu costumava tirar férias com minha família a cada um ou dois anos. Agora, eu estou em um avião ou carro para viajar quase que uma vez por mês, às vezes com pessoas que eu mal conheço.

E quando vou para algum lugar novo, eu acabo gastando meu tempo mal saindo do hotel porque preciso dormir de dia para aguentar o baile a noite inteira.

grafico-12

Texto: http://www.danceplace.com/grapevine/graphs-that-dancers-can-relate-to/

Traduzido por: Marcel Cortinovis