Tag Archives: treino

Criando sua própria versão de West Coast Swing

West Coast Swing é uma das danças mais abertas que existe. Se você assistir uma competição de dançarinos de salão profissionais, você verá uma dúzia de casais que se esforçam para um ideal compartilhado de como a dança deveria se parecer. No west coast, ocorre o oposto: Cada profissional tem seu próprio estilo, e a magia da dança é como os profissionais combinam seus estilos numa parceria para criar algo único mas ainda reconhecido como swing.

West Coast Swing te da muita liberdade

 

A partir do momento que você começa assistir WCS você vai ver que existem diferentes versões. Dançarinos ao redor do mundo levaram essas dança para um lugar novo e empolgante. A liberdade de interpretar as danças não está restrita ao nível profissional.  Todos os que dançam o West Coast Swing acabam – conscientemente ou não – fazendo uma declaração sobre como eles visualizam o WCS. Entender  essas afirmações é a chave para desenvolver seu próprio estilo. Este artigo e as dicas a seguir visam ajudá-lo a fazer exatamente isso.

Como deixar a dança sendo sua!

 

A ideia é fazer um exercício mental e pensar sobre quais são os principais elementos do WCS, para você.

Pegue um pedaço de papel e se pergunte,  “ Se eu fosse ensinar WCS do zero, o que seria o mais importante? Quais os fundamentos que eu iria priorizar?”

O começo da sua lista provavelmente seria padrão: Triple steps, âncora, e movimentos básicos. Se force a continuar. Tem passos que são mais importantes? Variações de âncoras? Conexão? Musicalidade? Sincopado? Estilizar a dança?

E continue descrevendo sua lista: Se escolheu musicalidade, quais elementos da musicalidade? Onde as pessoas deveriam começar a aprender musicalidade? Quando a musicalidade deve se sobrepor ao ritmo básico – ou nunca deve fazer isso?

 

Depois que você tiver listado

 

Assim que você tiver sua resposta, volte para sua própria dança. Você pode ver vídeos da sua dança, ou simplesmente prestar atenção em você mesmo quando sai pra dançar. Que elementos da sua dança são consistentes  com a interpretação do WCS que você fez? Tem elementos da sua dança que não batem com a interpretação que você criou?

Quando você encontrar elementos que não batem, se pergunte se você deveria reconsiderar sua interpretação ou talvez essa seja uma área que você tem que desenvolver para chegar mais perto da sua interpretação.

Continue sua evolução

 

A ideia deste exercício é esclarecer o que você acha que é importante no WCS, e trazer sua dança para uma harmonia com o seu ponto de vista. Para continuar sua evolução, volte para essa atividade regularmente ( 2 a 4 vezes no ano) e se pergunte como sua interpretação evoluiu.

Com sorte você vai continuar a melhorar sua dança, e enquanto isso seu entendimento do que é importante vai se desenvolver também. Você vai ser bom no seu jeito de criar um West Coast Swing que é todo seu!  

FONTE: https://www.westcoastswingonline.com/making-this-dance-your-own-2/
TRADUZIDO E ADAPTADO POR: Marcel Cortinovis.

As 5 vantagens de aprender a dançar sozinho.

Há momentos em que a paciência é uma virtude, e momentos em que você tem que continuar caminhando. Se você tem esperado alguém para aprender com você, ou você está apenas procurando o seu ponto de entrada para este hobby divertido e saudável – é hora de tornar as coisas muito claras.

Aprender a dançar sozinho tem algumas grandes vantagens. Aqui estão 5.

dançando sozinho

  1. Seu próprio ritmo

Imagine que você, e todo o seu escritório, contratou um personal trainer. Pode parecer para você e seus colegas que todos entrarem em forma juntos seja algo legal, mas você estaria condenado a alcançar uma meta média, em vez de uma específica para você.

Vantagem: Aprender sozinho permite que você trabalhe em sua jornada de dança em um ritmo que é específico para você e seu estilo de aprendizagem.

  1. Sua Própria Função

Na dança social, você está se concentrando em ser um líder ou um seguidor. Muito parecido com ataque e defesa no futebol, cada papel tem suas próprias habilidades específicas para fazê-lo funcionar. Adicionar outra pessoa / papel à lição divide o foco no desenvolvimento desse papel.

Vantagem: Aprender sozinho permite que você se concentre em seu papel específico na dança social.

  1. Passatempo pessoal

Dança Social pode ser apreciado como um hobby, com ou sem um parceiro. Em alguns casos, há aqueles com cônjuges que não gostam da ideia de dançar, e podem nunca querer, mas têm a abundância dos passatempos do seus próprios. Um hobby nem sempre tem de ser uma atividade compartilhada, assim como um estilo favorito de filme ou comida. Pode ser uma preferência pessoal.

Vantagem: Hobbies não têm de ser atividades compartilhadas.

  1. Exercício

Os tipos de aulas mais ativos são aqueles em que o professor está dançando e ensinando os alunos um a um. Há menos paradas na ação, e o profissional garantirá que está sempre forçando o aluno a sair da zona de conforto.

Vantagem: Aprender sozinho oferece os melhores resultados de fitness possíveis com a dança.

  1. Motivação

Vamos dizer que você está interessado em aprender, mas seu cônjuge não. Nada vai motivar um cônjuge resistente a dançar mais do que se a outra metade começa a tomar aulas. É a melhor maneira de chamar o seu blefe, para mostrar-lhes que não é apenas uma ideia caprichosa, e que você está perfeitamente disposto a ir sozinho, se necessário.

Vantagem: Começar por conta própria pode ser a melhor maneira de motivar um parceiro de dança hesitante e potencial.

Pensamento Final

A dança de salão pode ter nomes diferentes – dança social, dança do toque, ou dança esportiva – mas o nome que pode mexer com a sua cabeça é “dança a dois”.

É fácil supor que isso requer um parceiro para começar aulas de dança. E isso não é verdade.

Atletas começam a aprender suas habilidades antes de entrarem em uma equipe.

A maioria dos cantores começa a cantar muito antes de se juntar a uma banda.

Então, por que a dança deveria ser diferente? Um grande dançarino vai aprender a dançar, e depois escolher ter um parceiro de dança. Sem parceiro, Sem problema. Seu hobby está esperando por você, e você esperou por tempo suficiente.

Traduzido por: Marcel Cortinovis

Fonte: http://www.arthurmurraylive.com/blog/5-advantages-to-learning-how-to-dance-on-your-own

Top 5 exercícios de 30 segundos para melhorar sua dança

Alguma vez você já pensou que estava ocupado demais para treinar? Embora a maioria dos exercícios requeira tempo e espaço, é possível melhorar consideravelmente sua dança com exercícios rápidos de 30 segundos de duração. Aqui vai uma lista dos 5 melhores exercícios desse tipo que você pode fazer em qualquer lugar, por mais apertado que seja, e que vão te ajudar a se tornar um dançarino muito melhor!

Exercício dança

1. Fique de pé na postura certa

E sente-se na mesma postura também. Boa postura é a chave para a conexão, o equilíbrio e demonstrar confiança. Na verdade, trabalhar sua postura fará com que você expire confiança mesmo fora da dança, além de te ajudar a evitar futuras dores na lombar.

Para uma correção rápida faça um movimento circular com seus ombros, rolando eles para cima, para trás e, por fim, para baixo. Desenrole sua cabeça e seu tronco do seu centro para fora, como se você fosse um boneco de cordas. Você provavelmente já se sentirá melhor (e mais alto!).

2. Equilíbrio em uma perna

Esse é o tipo de exercício que você pode fazer em qualquer lugar. Não importa se você está na fila do supermercado, no telefone, no elevador, você pode levantar um pé a 5cm do chão que ninguém perceberá. Equilibrar-se em um pé é a forma mais fácil de melhorar seu equilíbrio como um todo. Isso não só melhora sua consciência corporal, mas fortalece seus músculos estabilizadores e treino seu corpo para fazer micro-correções ao tentar te manter equilibrado. O resultado: estabilidade, giros mais equilibrados e maior percepção do espaço ao seu redor!

3. Dance com a parede

…Ou sua pia, o batente da porta, ou qualquer superfície estável. Você precisa ser capaz de se mover sem afetar sua conexão, então coloque suas mãos contra a parede e veja quanto você consegue se mover sem mexer suas mãos.

Esse exercício é excelente para te ajudar nas variações de footwork durante sua âncora, movimentos corporais e espaçamento. Teste sua criatividade!

4. Desenrole seu pé

O “visual” do WCS vem do desenrolar dos pés. Ser capaz de controlar as articulações dos seu pés faz com que a sua dança fique mais suave, possibilita dançar músicas extremamente rápidas ou extremamente lentas e garante maior controle dos movimentos.

Você pode praticar o desenrolar dos pés em qualquer lugar que te possibilite ficar de pé! Foque em controlar as articulações do pé de forma que você consiga controlar seu corpo em qualquer momento da dança.

5. Encontre o 1

Boa musicalidade vem de instintivamente reconhecer quando algo de diferente vai acontecer na música. Sempre que você estiver escutando música procure encontrar o “um” da música e desenvolva esse instinto. Esse exercício funciona melhor se você pegar uma música no meio, como quando você liga o rádio, por exemplo.

Da próxima vez que você ouvir uma música, levante seu dedo indicador no momento do 1. Você pode fazer isso enquanto dirige, numa reunião, ou mesmo enquanto conversa com as pessoas (contanto que você preste atenção na conversa também!). Você se surpreenderá com quão rápido você vai começar a perceber essas variações na música instintivamente.

Bônus: A lição extra

A verdadeira lição por trás desses exercícios é que os seus treinos não precisam ser longos e estressantes. A chave disso tudo é a repetição. Se você escolher um desses exercícios e se comprometer a fazê-lo por 30 segundos sempre que você tiver uma brecha durante a semana, você terá evoluído muito ao final da semana. Qualquer um consegue 30 segundos para corrigir sua postura. E qualquer um consegue fazer isso diversas vezes ao dia se você se policiar.

A questão é: você está disposto a tentar?

 

Fonte: http://www.westcoastswingonline.com/top-5-drills-to-improve-your-dancing-in-30-seconds/
Traduzido por: Lucas Esteves